7 dicas para economizar sem tanto sacrifício

Começo de mês é só alegria. Em compensação, com o passar dos dias, o dinheiro fica curto e caímos na famosa armadilha de escolher as contas a pagar. O ideal é arrumar sua vida financeira antes que ela chega a esse ponto, mas se não for o caso, chegou o momento de ligar o alerta vermelho. Mesmo quem recebe pouco pode equilibrar ganhos e gastos, quitar todas as despesas do mês e, com um pouquinho de disciplina, até juntar um dinheirinho.

Para ajudar você nesse processo, a gente traz algumas dicas valiosas. Confira: 

  1. Faça um diagnóstico minucioso
    Essa etapa é fundamental. Antes de se desesperar – o que de nada adianta –, separe seus ganhos e despesas em listas (existem aplicativos e planilhas on-line). Organize os custos mensais em quatro tipos: fixos (valores invariáveis, como aluguel ou parcela da casa própria); variáveis (mudam de acordo com o consumo, por exemplo. Nesse categoria, enquadramos energia e água); extras (surgem de uma hora para outra, tais como consertos no veículo e eletrodomésticos); adicionais (você escolhe gastar, desde idas a restaurantes até viagens).
  2. Cortes são indispensáveis
    Sabe as despesas variáveis que acabamos de mencionar? Estima-se que, nos esforçando, conseguimos reduzi-las em até 30%. Basta desligarmos luzes desnecessárias, cuidarmos com torneiras ligadas e trocarmos os aparelhos antigos por novos, os quais costumam consumir menos energia. Você também pode abrir mão de algumas despesas adicionais, ou seja, postergar aquela tão sonhada viagem. As fixas, naturalmente mais difíceis de promover cortes, podem ser ajustadas, desde que você esteja disposto a mudar seus hábitos e padrão de vida.
  3. Antecipe contas a pagar
    IPVA, IPTU, seguros e por aí vai. Não deixe para pagar tudo em cima da hora. Mesmo que essas despesas sofram aumentos periódicos, organize suas contas e guarde um pouco por mês. Assim, você “parcela” uma despesa já prevista e evita sobrecargas nas finanças.
  4. Lazer na medida
    Adeque os momentos de lazer a sua condição financeira, nunca o contrário. Antes de jantar fora, por exemplo, chame os amigos até a sua casa. Todos vão se divertir, e tudo vai ficar muito mais em conta no final.
  5. Diga não às pequenas despesas
    Ah, mas é só um cafezinho… Vamos supor que você pague R$ 4,00 por cafezinho. Se você tomar um por dia, durante 22 dias, no final seu gasto será de, no mínimo, R$ 88,00 mensais. No dia a dia não parece, embora esses pequenos e, aparentemente, inofensivos custos tenham impacto no final do mês.
  6. Compartilhe soluções
    A economia compartilhada é o futuro. Por que você precisa assumir sozinho todos os custos de um carro? Converse com vizinhos que tenham rotas semelhantes a sua e divida os gastos em troca de carona. Todos saem ganhando.
  7. Aumente a receita
    Não existe mágica em finanças. Para equilibrar suas contas, existem dois caminhos possíveis: diminuir gastos ou aumentar ganhos. Se você conseguir alinhar as duas juntas, perfeito. Analise o mercado e as oportunidades. De repente, alguma habilidade ou hobby seu pode virar uma fonte de renda extra.

Há regrinhas básicas que ajudam você a manter a saúde financeira em dia. Nunca gaste mais do que você ganha. No caso de dívidas, procure negociar prazos e taxas de juros. O momento econômico é propício a posturas desse tipo.

Se sobrar dinheiro, não torre, guarde. Assim, você torna seus sonhos realidade mais rapidamente e fica seguro contra imprevistos. Se despesas e receitas empatarem, ótimo. Sinal de que você não está devendo, embora seja interessante reorganizar a finanças e voltar a poupar. Se faltar, como indicamos ao longo do texto, reduza despesas e amplie ganhos.

Você está pronto para deixar suas contas equilibradas com essas dicas? Compartilhe com seus amigos no Facebook e não esqueça de deixar seu comentário.

Fontes:
GuiaBolso
Uol Economia
Manual do Investidor

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.